Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/132

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


696 DOM JOAO VI NO BRAZIL

dando-lhe instrucgoes claras e explicitas para declarar a corte d Hespanha "que a garantia de Portugal pela Gra Bre- tanha subsistiia completamente Intacta, no memento em que elle visse que hera n-eoessaria tal declaragao para prevenir as hostilidades contra Portugal".

Ficava assim, gragas a habil tenacidade do diplomata portuguez, revogada a declaragao, que lord Castlereagh con- veio em denominar apressada ou ultrapassando a exacta interpretagao das instrucgoes expedidas, feita pelo encarre- gado de negocios Chamberlain no Rio de Janeiro. Tal decla ragao, de que nao era inalteravel a garantia dos tratados, o Foreign Office a havia mandado, conforme admittia agora, para o caso do Rei se nao prestar a dar explicates satisfactorias sobre a entrada das suas tropas em Montevi deo, nem a abrir a esse respeito negociagao na forma reque- rida pelas potencias alliadas.

Nao tinham estas entrementes abdicado a sua tarefa, acabando por ajustar em Pariz um projecto de tratado entre as duas potencias peninsulares, sobre a base da desoccupacao da margem oriental hespanhola do Prata, ao qual os dous plenipotenciarios portuguezes a Palmella fora aggregado n esta negociagao o marquez de Marialva- - adheriram a 7 de Outubro de 1818, por Ihes parecer o unico meio de evita- rem um rompimento, considerado com sympathia pelos me- diadores, de preferencia inclinados em maioria ao lado hes- panhol. Quando isto se passou, achava-se ja reunido o novo Congresso, de Aix-la-Chapelle, onde o proceder portuguez no assumpto da conquista americana provocou subida satis- facgao, n elk reconhecendo o Directorio europeu um acto de deferencia e um proposito de paz.

�� �