Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/394

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


958 DOM JOAO VI NO BRAZIL

rou-se aos solugos: a Rainha nao chorou, attendeu aos ul- timos preparatives da viagem antes de descer, e foi, com os olhos seccos e brilhantes, acompanhar por terra os navios em direccao a barra, ate perdel-os de vista na Praia Vermelha, donde Ihes dirigiu o ultimo adeus (i).

Nao e que fosse destituida de coragao Dona Carlota; pelo contrario o seu humor caridoso era tao vivo quanto a sua indole vingativa. Marrocos conta a esse respeito uma ane- cdota typica (2). Um servente mettera sem razao alguma plausivel, antes diffamando-a vergonhosamente, a mulher n um recolhimento, onde a deixou ao abandono e ao soffri- mento. Justificando-se judicialmente e conseguindo recobrar a liberdade, a pobre poz-se a servir para se manter e valer as duas filhinhas, obtendo por fim ser criada de uma das

��(1) "No dia 2 do corrente mez as SIMS. D. Maria Isabel, Rainha rle Hespanha, e D. Maria Francisca embarcaraoi Logo de manha na Nao S. Sebasliao, e suas criadais, 3 Agafatas, as criadas destas, 2 Re- trot as, 2 mo^as de Quarto, e 2 pretas, para ficarem em Hespanha ao &eu s.erivi<;o ; e a^companhadas plo Marquez de Vallada, a. Marqueza sua mulher, hum a filha delle ainda solteira, a Condega de Linhares (Ca- mareira-Mor) e a Condega do Barreiro, Viuvas. Os criados nao tinhao dcstino de ficarem em Ilespivnha, menos aquelles que as ditas Senhoras qui/erera que alii fiquem, para o que levao licenga somente nesse cas > : foi eguslmente o Medico Azevedo, irmao do Barao do Rio Secco. !>"- pois de hir o Bispo a bordo benzer a Nao, e haver Beija-Mao publico d( dcspcdida, ao qual foi immense Povo, a que se daA^a entrada na ]^ao sem "xn uriio. de pessaa, sahirao no dia seiguinte 3 pela manha com bom ven-to: torao acompanhadas da Fragata Principe D. Pedro, em que hia o Marechal Beresford, que se offereceu para acompantoal-as, e da Fra gata Ilospanhola, em que hia o Tenente-iGeneral Vigodet, Encarpeg

da Commissao. Farece que o rumo he para Cadiz, c dalli para Lisboa. V ua ssihida foi muito vis-tosa, mas pnanteada. A Rainha, havendo es- tado no dia antecedente sempre a bordo at6 as 10 horaa da noute, fol tambem ao bota-fora, nao Levando nunoa as outras Sras. Infantas com- sigo. EHR cy tsteve a bordo s6 hum quarto de hora, e retiroaa-s

O acto da separagao foi ternissimo para com seu Pay, nem pode descrever-se, assim como o nimo varonil de sua May, que sem lagrimas exteriores mostrou o seu disvelo em seus prepares ;.

Nos primeiros dias depois de sua sahida receberao ,S. Mage s tac cartas de suas Filhas por Navios,- que encontravao no mar o qu se di- rigiao para este Porto." (Carta de Marrocos ao Pai de 10 de Jull

(2) Carta ao Pai de 28 de Setembro de 1813.

�� �