Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/569

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BRAZIL 1133

gou-se Artigas a Francia emquanto Curado, descendo a mar- _gem esquerda do Uruguay, realizava afinal sua juncgao com Lecor, abrac,ando a tutela portugueza capital e campanha. Em Montevideo entretanto, cuja guarnicao se desmoralizara pela inacgao, dando-se largas a devassidao dos chefes, bem como os desmandos dos inf eriores, surprehendera o comman- dante em chefe <e atalhara uma conspiragao destinada a eli- minar pela expulsao o dominio estrangeiro, que odiavam os bons Hes panhoes e centra o qual se levantariam mais tarde os patriotas partidarios da independencia local.

Durante sua curta passagem pelo poder quiz Silvestre Pinheiro Ferreira cuidar da questao ainda em aberto da Cisplatina, nao obstante ser para elle ingada de asperezas e pejada de duvidas, nem o seduzindo a annexagao pura e simples pelo facto de Ihe parecerem muito diversas a natu- reza, estructura e tradigoes da provincia vindoura, nem con- siderando politicamente razoavel, apezar do seu desinteresse, que se perdesse o fructo de tantos trabalhos e despezas tao avultadas. A expressao os povos querern que alguns avan- gavam para justificar a encorporagao, afigurava-se-lhe, mau grade o seu doutrinarismo, oca de sentido real, falsa e absurda mesmo por nao existir jamais a concordancia que a expressao faz suppor, e ser a orientagao de um qualquer corpo social invariavelmente imposta por um ou muito pou- cos individuos. ( I )

A idea que Silvestre tinha por mel hor, era a de congre- gar o general commandante de Montevideo e do exercito de occupagao os comicios eleitoraes para formar uma assemblea provincial do Uruguay, afim dos deputados franca e livre-

��(1) Scincllianlr thoorin const it ucional. com ns i-cpv convlal ivns, foi dcscnvolvida cm rciinifu) do .yahinct! c nclia-sc lrcssa ii iiina das suas cavtas, nos Anivacs da I .ihl. Xac.

D. J. 71

�� �