Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/568

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


1132 DOM JOAO VI NO BRAZIL

ral, lucrou com as operagoes militares do anno de 1816, em que as trez columnas de Curado, Manoel Marques de SouzS e Lecor penetraram por caminhos differentes no territorio disputado, e em que Abreu (Cerro Largo), Menna Barreto e Oliveira Alvares desmancharam o piano de invasao do Rio Grande pelas forgas irregulares do caudilho e seus sub- ordinados.

Culminou a rapida campanha de defeza da fronteira no combate de Catalao (4 de Janeiro de 1817), que vingou as armas brazileiras das vantagens obtidas por Artigas em 1814-1815, quando chegou a tomar um parque de artilhe- ria. A devastagao e a pilhagem occuparam essas forgas vence- doras ao tempo que Lecor derrotava Fructuoso Rivera e, protestando querer apenas destruir a tyrannia, avangava por Maldonado sobre Montevideo, que sabemos com quanta faci- lidade occupou, apoz repellir no caminho as guerrilhas de Lavalleja, e de Oribe ( i ) .

Em 1820, a situagao apresentava-se satisfactoria para o exercito de occupagao, a qual nao veio por isso a soffrer com os successes constitucionaes. As tentativas de Artigas para interceptar as communicagoes brazileiras entre Monte video e o Rio Grande tinham falhado, sendo derrotados seus auxiliares e elle proprio levado de vencida ate o Uruguay. Ahi a retaguarda, com Entre-Rios, Ihe ficou livre ate con- seguirem cortar-lhe taes communicagoes as forgas portugue- zas, constantemente reforgadas, e pelo combate de Taqua- rembo (22 de Janeiro de 1820), langar o inimigo para alem do Uruguay.

Trahido por Fructuoso Rivera e supplantado na sua auctoridade pelo caudilho de Entre-Rios, Ramirez, entre-

��(1) Rev. Trim, do Inst. Hist, passim.

�� �