Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/85

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


DOM JOAO VI NO BKA2IL 649

quanto Nova Granada e Venezuela. Quando se fallava em restabelecer a auctoridade real no disperse e revolto imperio, logo se ajuntava, porem, que com algumas modificagoes indispensaveis. Fernando VII e Akxandre I eram porven- tura as unicas pessoas a julgarem possivel a recolonizac.ao pura e simples. As reflexoes de Maler sao interessantes n este ponto e dignas de divulgagao, por trazerem estam- pada a imagem d aquella opiniao do mundo diplomatico do Rio de Janeiro o unico entao da America do Sul que, sendo conservadora, nao o era em extremo.

Nao existe a menor duvida, Monsenhor, que mais se tardara em offerecer qualquer barreira ao espirito de inde- pendencia e a todas as illusoes de que o sabem engalanar, tanto mais difficil e depressa impossivel se tornara arrancar as raizes profundas que Ihe terao permittido desenvolver e firmar. Bastantes circumstancias e considerac,oes existem que reuniriam uma parte da populagao d estas provincias ao seu Rei si fossem ostensiva e sabiamente apoiadas pelas Po- tencias da Europa; acontece com as revolugoes no Novo Mundo o mesmo que com as do Velho Mundo, e sempre uma minoria facciosa que se guinda e arrasta e dirige a mul- tidao ; ora a immoralidade, a versatilidade dos corypheus de Buenos Ayres, suas tramas e secretos conluios com a pequena corte do Brazil, tudo emfim deve levar-nos a crer que, com auxilio, uma mao habil saberia facilmente fazer vacillar as opinioes d esses chefes avidos e tirar van- tajoso partido da sua cobiga e ambicao; por outro lado se esta extremamente fatigado de tantas inquietagoes, agitaqoes e convulsoes; propostas conciliatorias sustentadas pela me- diagao das grandes Potencias europeas promptamente da- riam animo e energia ao partido certamente mais nume-

�� �