Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/100

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 100 —

Lirio tão bello — decepado ha pouco
Por impia fouce d’afiado gume!
Tão rijo marmor recebia ufano —
De pet’las merencorias e mimosas
Mui dôce orvalho — nas sentidas lagrimas,
Da donzella gentil — nos sempre bellos —
Tristes, languidos olhos macerados!

III.

Dez annos se passaram
Novas delles não constou —
Uns negam — outros affirmam
Que o Donzel já se finou.

Que um Cavalleiro sem nome
De uma noite entre o negror —
Cruelmente o assassinara
Com ferreo braço e traidor! —

E a dama — seus dias
Tão cheios de dór —
N’um claustro os rendera
P’ra sempre ao Senhor! —


Typographic ornament extracted from Espontaneidades da minha alma.png