Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/11

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 11 —

Virente, e despedida
D’insensos gelados,
Mas só revestida
De odores fadados
De brilho e primor
Na estima, e no amor!

Gloria a ti, que nos reges bondoso
Nestes plainos do ardente torrão,
Onde a esp’rança já morta renasce,
Onde é livre, quem livre é Christão!

Já de sobre estes montes voseia
Essa Lei — qu’escrevestes co’a mão, —
Santa Lei que de rôjo posterga
Os martyrios, e dura oppressão.

Tudo corre, e s’apresta anhelante
Na Cidade, e no campo a bradar, —
«Viva Accacio que n’Africa rege,
Qu’em noss’alma sempre hade reinar!»

Gloria a ti, que nos reges bondoso
Nestes plainos do ardente torrão,
Onde a esp’rança já morta renasce
Arvorando o seu nobre pendão!