Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/116

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 116 —

Que o canto nascido
De um anjo escolhido
Não me é permittido
Na terra cantar.

José Justiniano da Cruz Forte.



AOS ANNOS DE SUA ALTEZA


o principe real


O SR. D. PEDRO DE ALCANTARA.

DEDICAÇÃO

Ao Exm.° Sr. Adrião Accacio da Silveira Pinto.


Oh! quão d'alma eu quizera o laúde
D'esse Bardo que o mundo extasiou,
Nesses cantos que junto ao Mondego
Inspirado na lyra vibrou,
Ousado eu cantára
Com dôce fragôr
Do dia o primôr
Tão cheio d'amor
Qu'em nós fulgurou: —