Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/121

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 121 —


Mesmo rudes — sem plectró sonóro —
Um só hymno te vamos sagrar —
São d'amor e respeito — o tributo —
Ouve e attende o que vamos cantar:
Gloria a ti que nos reges bondoso
Nestes plainos do ardente torrão ,
Onde a esp'rança a já morta renasce,
Arvorando o seu nobre pendão!



UM PENSAMENTO!

TRIBUTO D'AMIZADE E GRATIDÃO

AO ILLM.º SR.

Francisco Joaquim da Costa e Silva

Tout mortel se soulage à parler de ses meaux!

André Chérnier.

Em horas bem tardas de noite tremenda
Tão triste e sósinho me puz a pensar —
Tudo era silencio — e a terra dormia
Nos sonhos que os homens não pódem sonhar!

16