Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/16

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 16 —

Decantár’os! — Mas que, minha terra
Não tem Vate por Deos inspirado;
Não é pátria do divo Camões
Tão poeta, quão bravo soldado.

Não é pátria dos Vates d’America
Qu’em teus cantos, com maga harmonia,
Na Tijuca em seu cume sentado
Descansaste em tão bella poesia.

Não os tem; porqu’em terra africana
Não ha Cysne em gentil Guanabára,
Mais mimosa, mais bella e mais rica
Do que o oiro do meu Ouangára.

Minha terra não tem arvoredos
Tão frondosos, sombrios e bellos
Como os teus, em Palmella risonha,
Toda envolta em seus verdes cabellos.

Não tem vagas humildes beijando
Os vergeis d’essas serras altivas
Que ora brandas não gemem, suspiram,
Ora rugem — por ventos batidas.

Minha terra não tem o granito
E o verdor do teu Cintra impinado
Que d’amor suas fallas sentidas
Decantaste por elle inspirado.