Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/29

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ESPUMAS FLUCTUANTES
21

«— Com as garras nas mãos do mundo,
«— Com os dentes no coração?..

«Marchar!.. Mas como a Allemanha
«Na tyrannia feudal,
«Levantando uma montanha
«Em cada uma cathedral?..
«Não!.. Nem templos feitos de ossos,
«Nem gladios a cavar fossos
«São degráos do progredir...
«Lá brada Cesar morrendo:
«No pugilato tremendo
«Quem sempre vence é o porvir!»

Filhos do sec′lo das luzes!
Filhos da Grande Nação!
Quando ante Deus vos mostrardes,
Tereis um livro na mão:
O livro — esse audaz guerreiro
Que conquista o mundo inteiro
Sem nunca ter Waterloo...
Eolo de pensamentos,
Que abrira a gruta dos ventos
Donde a Egualdade voou!

Por uma fatalidade,
Dessas que descem de além,
O sec′lo que viu Colombo,
Vio Guttenberg tambem.