Página:Evocações.djvu/32

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ao meu grito tenebroso, tremendo, de leão despedaçado, ferido pela flecha envenenada de uma dôr omnipotente, rojado de bruços, baqueando em soluços sobre a terra maldita e barbara! De subito, porém, as lancinantes incertezas, as brumosas noites pesadas de tanta agonia, de tanto pavor de morte, desfaziam-se, desappareciam completamente como os tênues vapores de um lethargo...

E uma claridade ineffavel de madrugadas de ouro, alvorescida das aves brancas de um paiz sideral, apagava em mim a dor fria, exacerbante, desses pensamentos impacientes e torvos; dava-me o vigoroso alento, a grande esperança de que ella sobreviveria, de que ella sentiria, com Orgulho sagrado, nesse primeiro movimento da Maternidade, correr nas veias todo o impulso delicioso e nobre, toda a delicada aptidão ingenita poderosa, profunda, para amamentar, fazer florir e cantar no hostiario sacrosanto dos seus seios, aquella doce e vicejante existencia que na sua attribulada existencia se gerara.

E toda a antiga e virtual castidade, a adolescencia promissora, prenunciai, o mago segredo pubere da sua passada virgindade se transfigurariam na opulencia, no fausto de sensibilidade, de nervosidade, da compléxa paixão materna.