Página:Fabulas de Esopo.djvu/113

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
113
DE ESOPO.


derosos estimar a amizade de qualquer homem, por mui fraco que seja; porque qualquer póde fazer mal, e se não podem fazer mal, todos podem fazer bem.


FABULA LII.


O Milhano e sua Mãe.

Estando o Milhano enfermo, e receando a morte que via já chegada, rogou de proposito a sua Mãe que fizesse por sua saude romarias aos Santos. Respondeo ella: De boa vontade, filho, as fizera; mas temo que não te prestem; porque como gastaste a vida toda em males, e sempre com teu esterco çujaste os templos dos Santos,