Página:Herculano, Alexandre, História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal, Tomo II.pdf/296

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Versavam essas denuncias sobre os conversos que fugiam a occultas de Portugal para a Italia, fuga em que principalmente os protegia Capodiferro, quando eram assás abastados para obter protecção[1]. Desde que deixara de ser procurador dos christãos-novos tinha-se trasladado a Veneza (aonde commummente se acolhiam os judeus portugueses), para melhor exercitar o cargo de espia. Fingia-se ahi para com elles sectario occulto da lei de Moysés, guardando as exterioridades de christão, e obtendo assim ao mesmo tempo a confiança das suas victimas e dos outros espias d'elrei[2]. O seu odio contra os que o

    ahi não estiver, e saiba dele tudo o que lhe parecer necessario e de que escreveo que o queria avisar».

  1. Instrucções de 21 de setembro ao conde da Castanheira, em Sousa, Annaes, p. 403 e 404.
  2. É o que se deduz da seguinte passagem: — «Pero Carollo me mandou de Veneza o traslado dum escripto que lhe Duarte da Paz dera pera mim, o qual nom quis dar de sua letra por ser aviso de chrystãos novos de Lisboa; e que elle ha que faz grande serviço a Deus e a V. A. em m'avisar; e quer nisto tamto segredo como V. A. verá no proprio escripto que lhe com esta mando: Pero Carollo me escreve que elle vio agora em Veneza os chrystãos novos que estoutro diz no escripto, os quais está certo virem aly a fazer franqua sua pa-