Página:Horto (1910).djvu/198

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
GENTIL
A essa creancinha de olhos castanhos e sorriso claro, que eu vejo sempre á tarde, descalcinha e loura, sacudindo beijos...


Como é gracioso e lindo o pequenino louro
Que ás vezes, á tardinha, eu vejo docemente
Passar junto de mim como um sorriso de oiro,
Anjo que vem do Céo na luz do Sol poente.

Como é gracioso e lindo! Eu cuido ver um sonho,
– Um sonho côr da aurora e belo como o Mar –
Quando os olhos sem luz entristecidos ponho
Na pupila gentil d’aquelle meigo olhar.

O seu cabello guarda a cor serena e doce
Da pallida estrelinha ao despontar do dia.
Talvez que um anjo diga, ao vel-o: «desmanchou-se
O louro resplendor do filho de Maria!»