Página:Horto (1910).djvu/250

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

240
HORTO


E comnosco vem contente
Trazer-te um lindo presente
Nestes perfumes subtis.

Não ouves os periquitos
Que povoam nosso lar?
Com esses alegres gritos
Querem tambem te saudar.
E os travessos passarinhos,
Como encantados anjinhos.
A sorrir lá n’amplidão,
Vêm n’uns adejos divinos,
Nos biquinhos purpurinos
Sustendo meu coração.

Aceita-o... E’ feito de rosas,
De margaridas, jasmins;
As suas fibras mimosas
São bellas como rubins.
Recebe, pois, com carinhos
Nas azas dos passarinhos
Que cantam nesta manhã,
Como uma sincera humilia
As saudações da família
E os beijos de tua irmã...

15 de Março de 1893.