Página:Memorias de um pobre diabo.pdf/32

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
22


o meu artigo O homem deve ser sceptico, e o do Lagarto onde vinha a Ella, andavam comigo como talismans. Tirei do bolso o Lagarto e dei a Aurora para lêr os versos, declarando serem feitos quando pensava n'ella.

A rapariga ainda ignorava mais essa prova de amor, (que tão cara me sahira quando a dei á visinha).

A ultima quadra commoveu-a de uma vez: tambem era o sentimentalismo metrificado.

Que peito de mulher não commoverá esta quadra:

«Sê minha? Serei teu.... abre-me os braços....
Voemos deste mundo.... Sacuras
Fujamos do paul.... vamos, querida,
Fazer o nosso ninho nas alturas?!

Aurora lia soletrando palavra por palavra. Quando acabou de lêr eu estava com fome. Davam tres horas da tarde:


CAPITULO XII.


Eu contava 16 annos.

Aurora cerca de 26.