Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v1.djvu/137

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Por que havíeis passar tão doces dias?
A. F. DE SERPA PIMENTEL

 
Feliz daquele que no livro d'alma
Não tem folhas escritas
E nem saudade amarga, arrependida,
Nem lágrimas malditas!
 
Feliz daquele que de um anjo as tranças
Não respirou sequer
E nem bebeu eflúvios descorando
Numa voz de mulher...
 
E não sentiu-lhe a mão cheirosa e branca
Perdida em seus cabelos,