Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v3.djvu/92

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


De teus seios tão mimosos
Dá que eu goze o talismã!
Dá que ali repouse a fronte
Cheia de amoroso afã!
E louco nele respire
A tua malva-maçã!
 
Dá-me essa folha cheirosa
Que treme no seio teu!