Página:Obras poeticas de Ignacio José de Alvarenga Peixoto (1865).djvu/272

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
266

Com Deos e o rei não brincar,
É servir e obedecer,
Amar por muito temer,
Mas temer por muito amar,
Santo temor de offender
A quem se deve adorar!

Até aqui póde bastar,
Mais havia que dizer;
Mas eu tenho que fazer,
Não me posso demorar,
E quem sabe discorrer
Póde o resto adivinhar.

:

fim das poesias.