Página:Phalenas.pdf/36

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
– 34 –

         Azas no espaço abrio.
         Os ares rompe, embebe-se
         No ether de luz estranha:
         Olha-a minha alma attonita
         Dos céos a que subio.

         Emblema audaz e lugubre,
         Da força e do combate,
         A aguia no Capitolio
         As azas abateu.
         Mas vôa a pomba, symbolo
         Do amor e do resgate,
         Santo e apertado vinculo
         Que a terra prende ao céo.

         Depois... Ás mãos de barbaros,
         Na terra em que nascêra,
         Após sangrentos seculos,
         A aguia expirou; e então
         Desceu a pomba candida
         Que marca a nova éra.
         Pousou no Capitolio,
         Já berço, já christão.