Página:Poesias eroticas, burlescas e satyricas.djvu/110

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


SONETOS



I


Tendo o terrivel Bonaparte á vista,
Novo Annibal, que esfalfa a voz da Fama,
«Oh capados heróes! (aos seus exclama
Purpureo fanfarrão, papal sacrista):

«O progresso estorvai da atroz conquista
«Que da philosophia o mal derrama!...»
Disse, e em férvido tom saúda, e chama,
Sanctos surdos varões por sacra lista:

D′elles em vão rogando um pio arrojo,
Convulso o corpo, as faces amarellas,
Cede triste victoria, que faz nojo!

O rapido francez vai-lhe ás canellas;
Dá, fere, mata; ficam-lhe em despojo
Reliquias, bullas, merdas, bagatellas.