Página:Rosa, rosa de amor.djvu/27

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
20
VICENTE DE CARVALHO


    Só alcanço o teu carinho
    Nesta sombra de folhagem,
    Onde, como ave selvagem,
    Nosso amor tem o seu ninho.

    Por entre as moitas vagueio,
    Caminho, paro, indeciso...
    Virás ou não? E agoniso
    Entre a esperança e o receio.

    Por toda a floresta, cheia
    De um rumor vago e perdido,
    Cuido escutar o ruido
    Dos teus pésinhos na areia.

    Volto-me sobresaltado
    Só porque uma ave deteve
    O vôo, e um ramo, de leve,
    Estremeceu ao meu lado.

    E emquanto na sombra curto
    Essa impaciencia hesitante
    Por ternuras de um instante,
    Por beijos dados a furto,