Página:Rosa, rosa de amor.djvu/58

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


          Primavera vivida
De amar e ser amado aos vinte annos em flor,
Entrada triumphal do coração na vida,
          Amor, amor, amor!

          Rapida travessia
De um mar azul, rasgado entre rochedos nús
Nos quaes se ignora o amor, ou a alma se enfastia...
          Região lavada em luz

          Entre esses dous extremos
Tão proximos — o olhar que ainda não sabe ver
E o que vê — triste fim dos encantos supremos! —
          O que vale a mulher;