Página:Til (Volume I e II).djvu/24

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


— É que anda farejando, ou senão deram-lhe no rasto e estão-lhe na cola.

— Coitado! Se o prendem!

— Ora qual. Dançará um bocadinho na corda!

— Você não tem pena?

— De um malvado, Inhá!

— Pois eu tenho!

— Ah! você fala com o Bugre e até manda nele, como se fosse um negro cativo.

— Pois então!

— Mas por que é que este demônio que não faz caso de ninguém, e até mata as crianças, sofre tudo de Inhá, como ainda há pouco? Por que é?

— Não sei, Miguel! disse a menina com ingenuidade.

— Estou vendo que você tem algum patuá, como dizem as pretas da fazenda.