Página:Ultimos Sonetos.pdf/130

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
124
ULTIMOS SONETOS


Um ser desdenha das fataes poeiras,
Dos miseraveis ouropeis mundanos
E de todas as frivolas cegueiras...

Elle passa, atravéssa entre os humanos,
Como a vida das vidas forasteiras,
Fecundada nos proprios desenganos.