Página:Ultimos Sonetos.pdf/134

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
128
ULTIMOS SONETOS


Mundo de peste, de sangrenta furia
E de flores leprosas da luxuria,
De flores negras, infernaes, medonhas;

Oh! como são sinistramente feios
Teus aspectos de fera, os teus meneios
Panthericos, ó Mundo, que não sonhas!