Página:Ultimos Sonetos.pdf/24

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
18
ULTIMOS SONETOS


Ninguem te vio o sentimento inquiéto,
Magoado, occulto e aterrador, secréto,
Que o coração te apunhalou no mundo.

Mas eu que sempre te segui os passos
Sei que cruz infernal prendeu-te os braços
E o teu suspiro como foi profundo!