Página:Ultimos Sonetos.pdf/48

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
42
ULTIMOS SONETOS


Quando será que toda a vasta Esphéra,
Toda esta constellada e azul Chiméra,
Todo este firmamento estranho e mudo,

Tudo que nos abraça e nos esmaga,
Quando será que uma resposta vaga
Mas tremenda, hão de dar de tudo, tudo?!