Página:Ultimos Sonetos.pdf/70

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
64
ULTIMOS SONETOS


Nessa esphéra em que andais, sempre indecisa,
Que tormento cruel vos nirvaniza,
Que agonias titanicas são éssas?!

Porque não vindes, Almas imprevistas,
Para a missão das límpidas conquistas
E das augustas, immortaes Proméssas'!!