Página:Versos da mocidade (Vicente de Carvalho, 1912).djvu/44

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


22
VERSOS DA MOCIDADE


Um rosto de anjo, limpido, radiante...
Mas, ai! sob esse anjelico semblante
Móra e se esconde uma alma de mulher

Que a rir-se esfolha os sonhos de que vivo
— Como atirando ao vento fujitivo
As folhas sem valor de um malmequer...

Esta página contém uma imagem. É necessário extraí-la e inserir o novo arquivo no lugar deste aviso.