Página:Versos da mocidade (Vicente de Carvalho, 1912).djvu/87

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta página contém uma imagem. É necessário extraí-la e inserir o novo arquivo no lugar deste aviso.

ÆTERNUM CARMEN

I
UMA FLOR

«Amanhece... No ceu, lá fóra, é madrugada,
A noute se dilue numa poeira dourada.

Em derredor de mim toda a floresta acorda,
Sussurra, adeja, esvoaça, agita-se, transborda
De alegria ruidoza e de vida triunfante.

As aves, ensaiando o vôo titubeante,
Saltam do ninho fôfo ás tremulas ramadas,
Espanejam ao sol as azas orvalhadas...