Página:Versos da mocidade (Vicente de Carvalho, 1912).djvu/90

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


68
VERSOS DA MOCIDADE



Na sombra. No silencio e na treva, amedronta
O uivo dos matagais... Apavorada, tonta,
Desmaio sobre o ninho; e a sós, triste abandono!
Sonho sombras de abutre a adejar-me no sono...

O’ manhãs côr de roza e de ouro! quem pudera
Ir no rastro do sol seguindo a primavera!...

Esta página contém uma imagem. É necessário extraí-la e inserir o novo arquivo no lugar deste aviso.