Pétala dobrada para trás da rosa

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pétala dobrada para trás da rosa
por Alberto Caeiro
Escrito em 12-4-1919.


Pétala dobrada para trás da rosa que outros dizem de veludo.
Apanho-te do chão e, de perto, contemplo-te de longe.

Não há rosas no meu quintal: que vento te trouxe?
Mas chego de longe de repente. Estive doente um momento.
Nenhum vento te trouxe agora.
Agora estás aqui.
O que foste não és tu, se não toda a rosa estava aqui.