Pacotilha poetica/Se vai á missa por devoção ou outra cousa

Wikisource, a biblioteca livre
< Pacotilha poetica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pacotilha poetica
Se vai á missa por devoção ou outra cousa


SENHORAS

2 Por devoção! Mas, senhora,
  Não é, não, religiosa...
  A cousa é mais que profana,
  E' devoção amorosa!

3 Por outra cousa, senhora,
  Que adorais a um cupidinho;
  E quereis campar de Santa
  Quando sois um demoninho?

4 Namorais tambem na missa,
  Commetteis um tal peccado,
  O diabo sempre tenta!
  Olhai que o cujo é casado!

5 Sois tão devota, senhora,
  Que pelo proximo pedis;
  Que por elle ides á missa
  Tambem muita gente o diz.

6 Gostais de vel-o sentado
  Lá num banco do Passeio;
  Porém na igreja tambem?
  Isso, senhora, é mui feio.

7 Que Santinha! Lá na missa
  Sois mesmo uma songa-monga:
  Mas chiton! Nada mais digo
  Porque até a historia é longa.

HOMENS

2 Devoção! Que sacrilegio!
  Vossa alma perdida está;
  Com pensamemtos profanos
  Como vós quem haverá?

3 Não vos conheceis por certo,
  Nem sabeis que eu tudo sei;
  Em devoções como tendes
  Eu jámais acreditei.

4 Como o pai só leva á missa
  Essa que em tudo é formosa,
  Vós nutris por sua causa
  Devoção toda amorosa.

5 Na igreja, senhor, é feio
  Namorar qual namorais,
  Até bilhetes de amores
  Lá mesmo ás moças passais.

6 Ides á igreja sómente
  Para palrar e palrar,
  Olhai que no outro mundo
  Tanto abuso haveis pagar.

7 Tambem! Tambem vem ás sortes
  Consultar se sim ou não?
  Libertino sem segundo,
  Vós não tendes devoção.

SENHORAS

8 Que ouvis missa em certa igreja
  Sei, mas não se ha devoção,
  Pois que todos me asseguram
  Que gostais do sacristão!

9 Por devoção, minha bella,
  Pois que em mais proprio lugar
  Dais as cartas mui bem dadas,
  Que sois mestra em namorar.

10 Ides á missa, é bem certo,
  Sómente por devoção,
  Mas quando a vossa alma ora
  Vos palpita o coração!

11 Hoje campais de beata,
  Rezando o santo rosario,
  Mas outr'ora! Oh! que namoros!
  E era na igreja o fadario!

12 Vós ides por devoção,
  Porém sois lá namorada,
  Ha quem lá vos cuide santa,
  Ah! sois lá idolatrada!

HOMENS

8 Vossa devoção, amigo,
  Não passa de mui profana,
  Ides á missa sómente
  Para ver certa sultana.

9 Por devoção, não por certo,
  Por outra cousa, isso sim;
  Mas inda era bem, meu amigo,
  Que a cousa ha de ter bom fim.

10 Namorais no Provisorio,
  E não contente, senhor,
  Ainda fazeis da igreja
  O templo de vosso amor!

11 Atraz de certa beata,
  Ides sempre mui lampeiro,
  Ella é feia, porém vós
  Namorais o seu dinheiro.

12 Por devoção? Meu amigo,
  Ao contrario eu advinho;
  Com os olhos nas galhetas
  Adorais somente o vinho!