Pois houve-m'o mal que sofro, punhei

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pois houvi o mal que eu sofro, punhei
por Fernán Gonçalves de Seavra


Pois houvi o mal que eu sofro, punhei
de o negar, assi Deus me perdom;
e querem devinhar meu coraçom,
e nom podem, mailo mal que eu hei,
       pois que eu punho sempr'en'o negar,
       maldito seja quem mi o devinhar!
  
E nom pode[m] per mi saber meu mal
sem devinhá-lo, nem hei en pavor,
nem já per outr', enquant'eu vivo for,
o que eu cuid', e digo que cuid'al,
       pois que eu punho sempr'en'o negar,
       maldito seja quem mi o devinhar!