Pois me enfada o teu feitio

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Retrato do mesmo clerigo.
por Gregório de Matos
Poema agrupado posteriormente e publicado em Crônica do Viver Baiano SeiscentistaOs Homens BonsA Nossa Sé da Bahia

1Pois me enfada o teu feitio,
quero, Frisão, neste dia
retratar-te em quatro versos
as maravi, maravi, maravilhas.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão, da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.
  
2A cara é um fardo de arroz,
que por larga, e por comprida
é ração de um Elefante
        vindo da Índia.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas
  
3A boca desempenada
é a ponte de Coimbra,
onde não entram, nem saem,
        mais que mentiras.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.
  
4Não é a língua de vaca
por maldizente, e maldita,
mas pelo muito, que corta
        de Tiriricas.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.
  
5No corpanzil torreão
a natureza prevista
formou a fresta da boca
        para guarita.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.
  
6Quisera as mãos comparar-lhe
às do Gigante Golias,
se as do Gigante não foram
        tão pequeninas.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas
  
7Os ossos de cada pé
encher podem de relíquias
para toda a cristandade
        as sacristias.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.
  
8É grande conimbricense,
sem jamais pôr pé em Coimbra,
e sendo ignorante sabe
        mais que galinha.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
     às maravi, maravi, maravilhas.

9Como na lei de Mafoma
não se argumenta, e se briga
ele, que não argumenta,
        tudo porfia.
        Ouçam, olhem,
    venham, venham, verão
        o Frisão da Bahia,
        que está retratado
    às maravi, maravi, maravilhas.