Quanto tempo trabalhei

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quanto tempo trabalhei
por Anónimo
Vilancico renascentista português do Cancioneiro de Paris.


Quanto tempo trabalhei,
Por não perder esperança,
E quão pouco há que achei,
Que o perdê-la descansa.

Por isso quem na tiver,
Por muito bom que seja,
Procure de a perder,
Porque perder se não veja.
Porque quanto trabalhei,
Por não perder esperança,
Tudo perdi até que achei,
Que o perdê-la descansa.