Sedia-m'eu na ermida de San Simón

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Sedia-m'eu na ermida de San Simón
por Mendinho
Cancioneiro da Biblioteca Nacional 852, Cancioneiro da Vaticana 438


Sedia-m'eu na ermida de San Simón
e cercaron-mi as ondas, que grandes son.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?

Estando na ermida ant'o altar,
cercaron-mi as ondas grandes do mar.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?

E cercaron-mi as ondas, que grandes son:
non hei i barqueiro, nen remador.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?

E cercaron-mi as ondas do alto mar:
non hei i barqueiro, nen sei remar.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?

Non hei i barqueiro, nen remador:
morrerei eu fremosa no mar maior.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?

Non hei i barqueiro, nen sei remar:
morrerei fremosa no alto mar.
     Eu atendend'o meu amigo. E verrá?