Vindes da Mina, e só trazeis a fama

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Louva o secretario de estado Bernardo Vieyra Ravasco a hum sugeyto, que foy à costa da mina e lá fez huma illuestre acção.
por Gregório de Matos
Poema agrupado posteriormente e publicado em Crônica do Viver Baiano SeiscentistaOs Homens BonsHomens de Bem

Vindes da Mina, e só trazeis a fama,
De que vosso valor fez alta empresa,
Que não consiste a glória na riqueza
No seu desprezo sim, que honra se chama.

O vosso zelo, que ambição se inflama,
Do serviço fiel de Sua Alteza
Lhe deu prudente aquela Fortaleza,
Que é padrão imortal, que vos aclama.

Quanto co'a espada, e co juízo obrastes,
Quanto na África, e Europa merecestes,
São ações, que convosco competistes.

Não vos queixeis do pouco, que alcançastes,
Pois na glória, em que a todos excedestes,
Dificultais o prêmio, ao que servistes.