Se a ninguém tratais com desamor

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Se a ninguém tratais com desamor
por Luís Vaz de Camões

Se a ninguém tratais com desamor,
antes a todos tendes afeição,
e se a todos mostrais um coração
cheio de mansidão, cheio de amor;

desde hoje me tratai com desfavor,
mostrai-me um ódio esquivo, ũa isenção;
poderei acabar de crer então
que somente a mi me dais favor.

Que, se tratais a todos brandamente,
claro é que aquele é só favorecido
a quem mostrais irado o continente.

Mal poderei eu ser de vós querido,
se tendes outro amor na alma presente,
que amor é um, não pode ser partido.