É agora! Aperta a rosca

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
É agora! Aperta a rosca
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, a 1º de outubro de 1888, utilizando o pseudônimo Job Rimaduro.


É agora! Aperta a rosca
Senão, vae-se tudo embora:
Esse é bom — não é — pra fora
É agora, aperta a rosca!
No fim se verá quem chora:
Que ninguém espante a mosca!
É agora! Aperta a rosca,
Senão, vae-se tudo embora!...

Cansei meus cavalos todos,
Esbodeguei o meu carro,
Por andar sempre no barro,
Cansei meus cavalos todos;
Fumando sempre um cigarro,
Arranjo a cousa com modos;
Cansei meus cavalos todos,
Esbodeguei o meu carro...

De calça branca, perna tesa,
À alta escola — cabalando,
Fui e vim — sempre arranjando
De calça branca, perna tesa...
É a hora — vão votando,
Enquanto sopro uma reza...
De calça branca, perna tesa,
A alta escola cabalando...