É pagode, pagodeira

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
É pagode, pagodeira
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 4 de julho de 1888, utilizando o pseudônimo P.p. Rimuito João Rifraco.


É pagode, pagodeira.
A coisa da Frioleira:
A nota ventaroleira
É pagode, pagodeira,
Tomo a nota na carteira
Da pontaria matreira;
É pagode pagodeira,
A coisa da Frioleira

Quem pode igualar estro divino?!
Grandioso cultor das pátrias letras?!
Quem te pode, oh Taine, em linhas retas
Quem te pode igualar estro divino???
Ai! Da mágoa feroz as garras pretas,
Se me cravam no miolo tão mofino...
Quem te pode igualar,estro divino...
Grandioso cultor das pátrias letras!...

Tu, maior que o sol, és um luzeiro;
És gênio, um dentista, um criticaço:
Não me quebres, mau, o espinhaço;
Tu, maior que o sol, és um luzeiro
Tenho algumas espinhas no cachaço
Piedade! Oh Janin Ventaroleiro!...
Tu, maior que o sol, és um luzeiro...
És gênio, um dentista, um criticaço!...

Curvaturas de Bodoque
E tremuras de comoção,
Apertões de coração
Curvaturas de bodoque,
Dou-te tudo, oh! Fr. Durão,
Científico batoque:
Curvaturas de bodoque
E tremuras de comoção