A Alma do Lázaro/II/V

Wikisource, a biblioteca livre
< A Alma do Lázaro
Ir para: navegação, pesquisa
A Alma do Lázaro por José de Alencar
Segunda Parte: O Diário, 12 de março de 1752

Passei toda a manhã a ensinar a Maria as orações que aprendi em teu colo. Não as compreende, nem sabe repeti-las comigo! Que sono profundo dorme essa alma! Nada a perturba. O corpo ali move-se pelo instinto, ou talvez pelo hábito...

Contudo é uma criatura humana. Ouve... E eu sinto um prazer inconcebível em falar a alguém!...