A Galinha Morta

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Galinha Morta
Composição de tradição popular coletada por João Simões Lopes Neto
Poema agrupado posteriormente e publicado em Cancioneiro Guasca .


Vou cantar a galinha morta:
Por cima deste telhado.
Viva branco, viva negro,
Viva tudo misturado!

Eu vi a galinha morta,
Agora, no fogo fervendo...
A galinha foi p'ra outro,
Eu fiquei chorando e vendo!

Minha galinha pintada...
Ai! meu galo carijó...
Morreu a minha galinha,
Ficou o meu galo só.

Minha galinha pintada...
Ai! meu galo garnisé!...
Morreu a minha galinha,
Fica o galo sem mulher...

Minha galinha pintada,
Com tão bonito sinal!
Meu compadre me roubou
Pelo fundo do quintal.

Minha galinha morta
Bicho do mato comeu:
Fui ao mato ver as penas,
Dobradas penas me deu.

A galinha e a mulher
Não se deixam passear:
A galinha o bicho come...
A mulher dá que falar!

Eu vi a galinha morta,
A mesa já estava posta;
Chega, chega, minha gente,
A galinha é p'ra quem gosta!

Minha galinha pintada,
Pontas d'asas amarelas:
Também serve de remédio
P'ra quem tem dor de canelas...