A Pulseira de Ferro/IV

Wikisource, a biblioteca livre
< A Pulseira de Ferro
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

"Tem muito tempo para chorar seu padre!" - repetia, depois, o vigário, corrido da sua expansibilidade pueril, diante da sensatez pausada e sentenciosa de Chicão.

Entre os dois, entre o homem bem nascido e bem criado, o sacerdote, o ledor infatigável de letras sagradas e profanas e o caboclo analfabeto e simplório, quem tivera, em toda esta ocorrência, uma palavra de sabedoria - fora o caboclo. Ele padre só dissera e fizera tolices (pensava): procedera como uma criança grande, que, tendo ganhado uma boneca, crepitasse toda numa alegria meio ridícula... Sentia-se humilhado.

Lembrou-se, porém, de que Cristo buscara os seus apóstolos, não entre gente douta, mas entre pescadores ignorantes, porque a simplicidade e pureza de coração estão muito mais perto da sabedoria do que a sabença. Provavelmente o Chicão se ia aproximando da sabedoria, sem esforço, a custo de santa simplicidade - e padre Guilherme se consolava a pensar que o Chicão ia talvez ficando sábio, mas sem deixar de ser idiota. Tudo isto ele o pensou meio confusamente, em todo o caso de modo bastante a aplacar a mágoa da sua vaidade.

Mais tarde, em palestra com o dr. Veloso, trouxe o caso à baila, e com ele a reflexão feita. O bacharel concordou com o padre em achar curioso que a imbecilidade do sacrista pudesse ter engendrado aquela frase razoável, tão a tempo; divergiu, porém, no comentário.

É certo (disse) que a sabedoria pode falar pela boca da simplicidade. Concebe-se um estado de humildade profunda, de ausência de paixões, de esquecimento de si próprio, de brandura e nudez de alma, em que o indivíduo, parecendo baixar à inconsciência, roce deveras a genialidade - e, nesse estado, sem o querer, e sem o saber, diga palavras de perene beleza. Mas Ruysbrock, o Admirável, não é precisamente um produto vulgar, como os homens de talento e as senhoras caridosas... O que se vê, comumente, é isto: de tal natureza é a oposição entre os espíritos rasteiros e as almas direitas e nobres, que, quando estas se abandonam um pouco, e se deixam apenas viver, até os idiotas e os marotos se tornam sábios, só para as humilhar.