Autor:José Bonifácio

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Bonifácio
José Bonifácio de Andrada e Silva
Pintura a óleo por Benedito Calixto, 1902.
Nacionalidade Brasil enquanto colônia de Portugal português do Brasil Colônia
Data de nascimento 13 de junho de 1763
Local de nascimento Santos
Data de falecimento 6 de abril de 1838 (74 anos)
Local de falecimento Niterói
Pseudônimo(s) Americo Elysio, Américo Elísio
Ocupação estadista, poeta, naturalista, mineralogista, diplomata, político, escritor, geólogo
País de cidadania Brasil
Alma mater Universidade de Coimbra

<Autor:S
José Bonifácio de Andrada e Silva foi um naturalista, estadista e poeta brasileiro. Na poesia, adotava o pseudônimo de Americo Elysio.

Wikipedia-logo.png Biografia na Wikipédia
Commons-logo.svg Imagens, digitalizações, vídeo e áudio no Wikimedia Commons

Obras[editar]

  • Sobre as minas de carvão-de-pedra em Portugal, publicado no Patriota, Rio de Janeiro, 1813
  • Há terrenos que pelo arado não dão fruto, mas sendo cavados com o picão sustentam mais do que se fossem férteis, memória, publicada no Patriota, Rio de Janeiro, 1813
  • Experiências químicas sobre a quina do Rio de Janeiro, comparada com outras, 1814
  • Memória minerográfica da serra que decorre de Santa Justa até Santa Comba e suas vizinhanças na província do Minho, Museu Paulista, Coleção José Bonifácio, Doc. 290, 1814-1815
  • Sobre a necessidade e utilidade do plantio de novos bosques em Portugal, particularmente de pinhais nos areais de beira-mar; seu método de sementeira, custeamento e administração, 1815
  • A primavera, 1815
  • Memória sobre a nova mina de ouro da outra banda do Tejo, chamada Príncipe Regente, 1817
  • Memória sobre as pesquisas e lavra dos veios de chumbo de Chacim, Souto, Ventozello, e Villar de Rey na província de Trás-os-Montes, 1818
  • História da Academia Real das Ciências de Lisboa, para o ano de 1818, discurso histórico recitado na sessão de 24 de junho de 1818
  • Memória econômica e metalúrgica, sobre a fábrica de ferro em Sorocaba, que visitaria por segunda vez em 1821, com duras críticas à "má administração antiga e nova", aos "abusos e ladroeiras", o que iria suscitar a má vontade, a ira e a vingança do filho do diretor, o historiador Varnhagen, 1820
  • Poesias avulsas, 1825
  • Memória minerográfica sobre o distrito metalífero entre os rios Alva e Zêzere, Museu Paulista, Coleção José Bonifácio, Doc. 291., s/d
  • Open book nae 02.svg Testamento de José Bonifácio (projeto de transcrição)

Traduções[editar]

AUTORES
ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ