Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/Erramos (E Ramos?)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Francisco Rodrigues Lobo
173. Erramos (E Ramos?)



173. ERRAMOS (E RAMOS)

Uma mulher não tratava bem de obras a honra de seu marido, e elle muyto mal de palavras a toda a sua visinhança; era o seu nome d'elle Ramos, e pondo-se um dia em praticas com a mulher começou a contar com ella todos os cornudos, que havia no seu bairro; a mulher com raiva de sua má natureza a cada passo dizia:

E Ramos, marido; tornae a contar, que falta um.

Elle, que entendia mal o remoque, sem se metter na conta, a tornava a fazer de novo muitas vezes.

(Rodrigues Lobo, Côrte na Aldeia, dial. XI, p. 156.)



Notas[editar]

173. Erramos. (E Ramos?) — Encontrámol-o tambem na tradição insulana, e no Porto.