Curvai-vos, homens altivos

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Curvai-vos, homens altivos
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 16 de agosto de 1888, utilizando o pseudônimo J. Rimiudo.


Curvai-vos, homens altivos,
Aos Medeiros delegado!
Ao novo Sila, rachado,
Curvai-vos, homens altivos!...
Da força do potentado
Nem escapam Pedro Ivos!
Curvai-vos, homens altivos,
Aos Medeiros delegado.

O povo de Canguçu
Treme, sua, tem ataques...
Tem sofrido fortes baques,
O povo de Canguçu!
Pois não são simples basbaques
Que aplacam o rei Tatu:
O povo de Canguçu
Treme, sua, tem ataques.

Por dá cá aquela palha,
São bolos d’escrancha — tudo!
Rebenta quem fica mudo,
Por dá cá aquela palha!...
E vae avante o sanhudo:
Grita, berra, cuspa, ralha:
Por dá cá aquela palha,
São bolos d’escrancha — tudo!...