Diccionario Bibliographico Brazileiro/Antonio Mendes Bordallo

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diccionario Bibliographico Brazileiro por Sacramento Blake
Antonio Mendes Bordallo


Antonio Mendes Bordallo — Filho de Francisco Mendes Bordallo, portuguez de nascimento e governador do castello de S. Januario, e de dona Anna Maria Alvares e Asturia, brazileira, nasceu na cidade de S. Sebastião do Rio de Janeiro a 24 de outubro de 1750 e falleceu em Lisboa a 17 de fevereiro de 1806.

Aos dezeseis annos de idade, com todos os preparatorios necessarios, partiu para Portugal e matriculou-se no curso de direito canonico da universidade de Coimbra, onde se formou em 1771, e estabelecendo-se como advogado em Lisboa, adquiriu uma reputação tal, que seu nome era apontado entre os dos jurisconsultos mais distinctos do fôro portuguez, e obteve ser nomeado advogado da casa de supplicação, em cujo exercicio morreu. Teve relações de amizade com os mais notaveis litteratos de sua época, e foi tambem um desvelado cultor da poesia. Não fez, porém, collecção de suas composições poeticas; dellas só se conhecem:

A casa de jogo: ode — Vem no segundo volume do « Florilegio da poesia brazileira » de F. A. de Varnhagem, depois Visconde de Porto Seguro.

Ode a dom João de Almeida — Idem.

Epistola a Martinho de Mello e Castro — em verso hendecasyllabo solto, da qual vem na dita obra um fragmento sob o titulo Satyra aos abusos da magistratura.

Soneto — que vem na collecção dos novos improvisos de Bocage, á pag. 37. Consta que deixara tambem, além de poesias, obras sobre jurisprudencia, cujo destino é ignorado.